fbpx

São Paulo: uma cidade que (também) veleja

A “cidade-referência”

No último sábado a cidade de São Paulo celebrou seu 466º aniversário. Centro econômico do país e uma das cidades mais populosas do planeta, São Paulo é uma referência óbvia em diversos aspectos. Com seus parques, museus, empresas e miscigenação de culturas, a cidade é a primeira que vem em mente em relação aos mais diversos tópicos. Porém quando se pensa em navegar-velejar, São Paulo se torna quase uma “anti-referência” no imaginário da maioria da população. Mas será que esse instinto tem fundamento?

Um pouco de história

Analisemos brevemente a origem dessa metrópole, que abriga 63% das multinacionais presentes no Brasil. Fundada em 25 de janeiro de 1554 por padre jesuítas, ao construírem um colégio exatamente entre os rios Anhangabaú e Tamanduateí, São Paulo tem, desde sua fundação, uma relação extremamente íntima com a água. Foi exatamente a riqueza da rede fluvial do Planalto Paulistano que induziu o estabelecimento e florescimento da Vila de São Paulo.

Além disso, foi às margens do riacho Ipiranga, que dá nome ao atual bairro, que simbolicamente foi declarada a Independência do Brasil pelo então príncipe e herdeiro do trono de Portugal, Dom Pedro I. Ainda, o rio Tamanduateí, com seu potencial de navegação, foi essencial para o estabelecimento de relações comerciais na vila de São Paulo. Fazendas mais distantes e cidades litorâneas (o centro comercial da época) transportavam seus produtos em embarcações. Os mesmos eram descarregados em um porto localizado abaixo da Ladeira Porto Geral, próxima ao mosteiro São Bento.

A represa de Guarapiranga

Imagem da represa de Guarapiranga

Fonte: https://images.app.goo.gl/kpVZQNVcxkUCTFCo8

Avançando no tempo, a represa de Guarapiranga foi inaugurada em 1908, com a finalidade original de atender a produção de energia elétrica na Usina de Parnaíba. Com o tempo, ganhou também a função de abastecimento de água para população, fornecendo hoje para 4 milhões de pessoas. Atualmente é uma referência para a prática de esportes náuticos, em especial a Vela. Foi inclusive sede dos Jogos Pan Americanos da modalidade em 1963.

Apesar da premissa de ser um local feio ou poluído, a represa se difere em muito da maioria dos rios e córregos presentes na cidade de SP. Possui natureza exuberante, incluindo mais de 90 espécies animais diferentes, além de ilhas e mata atlântica. Além disso, tem recebido nas últimas décadas um crescente número de construções de lazer como clubes, residências de férias e sítios. Todos buscando aproveitar o potencial náutico disponível e se tornando referência turística na cidade.

Velejar na represa

Imagem de barco à vela na represa de Guarapiranga, durante treinamento da PrimeSail

Com condições variadas de vento, pouquíssima ondulação e águas abrigadas, a represa é um local excelente para prática da Vela. Possui às suas margens inúmeros clubes náuticos e um enorme número de praticantes do esporte. Fornece ótimas condições climáticas, principalmente para novos praticantes do esporte, por não possuir um regime de ventos fortes nem provocar ondas.

Além disso, o regime de chuvas na região também é bastante favorável à prática náutica. Sem mencionar ainda a excelente estrutura disponível nos clubes presentes em suas margens.

Não à toa, é berço de um dos maiores velejadores de todos os tempos. Robert Scheidt, maior medalhista olímpico do esporte brasileiro e multi-campeão mundial foi formado nas águas da Guarapiranga. Velejador do Yacht Club Santo Amaro (YCSA), Robert aprendeu a velejar na cidade de São Paulo, de onde se projetou para o mundo como uma referência histórica no esporte. 

Além disso, tendo clubes de enorme tradição no cenário brasileiro e internacional (como é o caso do YCSA), a represa de Guarapiranga é recorrentemente sede de diversas competições nacionais e internacionais, promovendo e desenvolvendo o esporte a nível global. Por ter fácil acesso ao centro da cidade (cerca de 8km), a represa de Guarapiranga é uma das principais sedes náuticas no país e atrai velejadores do mundo todo.

Atuação da PrimeSail em SP

A PrimeSail possui operações na cidade de SP desde 2017, sempre em parceria com o Yacht Club Santo Amaro, nossa sede operacional. Com toda estrutura do clube à disposição, possuímos capacidade para atender treinamentos e eventos de até 250 pessoas. Incluindo nisso toda estrutura náutica de veleiros, instrutores, botes de apoio e também a estrutura de salas, alimentação e estacionamento.

É, hoje, uma das nossas operações com maior volume de atividades, justamente por ter um acesso tão fácil para a maior parte das empresas do país. Além da capital do estado, em São Paulo possuímos ainda outras duas operações, em Ilhabela e no Guarujá.

:: Para saber mais sobre nossa atuação, clique aqui e fale com a gente!

De |2020-01-27T17:39:34+00:00janeiro 27th, 2020|Categorias: Não categorizado|0 Comentários

Deixe um Comentário